quinta-feira, junho 26, 2008

Oficina de dança Árabe na faixa Jd. Ângela


Oficina de dança Árabe na ONG Papel Jornal
Um encontro para mulheres de todas as idades na Zona Sul de SP, dia 05/07, às 14h30. Para mulheres que desejam acessar a beleza ancestral de suas trajetórias, compartilhar o movimento de sabedorias interculturais.

A dança Àrabe é milenar, registrada entorno de 5.000 a.c., desde o reino da antiga Mesopotâmia, com cerca de 3.000 movimentos possíveis de serem executados pelo corpo humano. Sua base histórica se origina das danças beduínas em rituais de homenagem ao ecossistemas nos quais habitavam os povos nômades. Essa história começa entorno de 11.000 a.C., em Jericó-Palestina, quando as beduínas passaram a desenvolver a agricultura.

Facilitadora
Amyra El Khalili é diretora da Cia El Khalili Arabian Dances com mais de duas décadas de pesquisas de ritmos árabe-brasileiros, foi premiada nacional e internacionalmente pelo trabalho. É idealizadora da oficina "Dança pela Água em Missão de Paz!" realizada com mulheres de diversas comunidades Brasil. Também é economista e Presidente da ONG CTA/Projeto BECE (sigla em inglês) Bolsa Brasileira de Commodities Ambientais (ONG)

Data/horário: 05/julho/08 (sábado) das 14h30 às 17h

Local: ONG Papel Jornal
- Rua Roberto Selmi Dei, 187 (altura do no. 2.200 da M'Boi Mirim)

Vagas: 30
Público: mulheres de todas as idades.

Gratuito - participante deverá levar um prato de salgado ou doce para um lanche comunitário.

Inscrições: nyldarodriguez@ uol.com.br - (11) 9251 9895
http://www.papeljornal.org.br/
http://contosafricanosearabes.blogspot.com/

Boas novas para Educação pública


Cerca de 800 formandos em Pedagogia compareceram à cerimônia de colação de grau do Programa PEC Municípios, no dia 14/6, no Centro de Formação de Profissionais da Educação de São Bernardo do Campo. O programa, parceria da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo com a PUC-SP, oferece formação superior para professores do ensino fundamental da rede pública estadual.
http://www.apropucsp.org.br/revista/r24_r03.htm
http://www4.usp.br/index.php/educacao/39-educacao/13182

Mais
A partir do segundo semestre de 2008, os 800 mil alunos do terceiro ano do ensino médio da rede estadual paulista terão uma hora de aula adicional por dia voltada para o vestibular.

O objetivo é incentivar mais estudantes das escolas públicas a cursar uma faculdade.

Os estudantes receberão ainda orientação sobre como conseguir taxas de isenção em processos seletivos de universidades públicas e bolsas de estudo em instituições particulares.

A falta de informação sobre esses benefícios levam muitos estudantes a perder oportunidades. Por exemplo, das 65 mil isenções oferecidas neste ano pela Fuvest, fundação que organiza o vestibular da USP, menos da metade (pouco mais de 30 mil) foi concedida por falta de pessoas interessadas em retirar as solicitações.

Profissionalização
A secretaria pretende oferecer, também a partir de 2008, opções profissionalizantes a todos os alunos do ensino médio. Isso será viabilizado por meio de uma parceria com o Centro Paula Souza, órgão do governo estadual que administra as Fatecs e Escolas Técnicas (ETEs).

fonte
http://www.jornaldestak.com//noticia.asp?ref=12292

Arraial no Jd. Aracati



Festa Junina Dia 28/06/08
Início às 12h00





Música
Apresentações
Comidas Típicas
Brincadeiras
Gincana
Fogueira

Rua Emanuel List, 96Jd. Aracatitel. 5895-7501
http://www.associacaoguainumbi.org/index.htm

quarta-feira, junho 25, 2008

Planeta dos macacos

O que quer Kassab (prefeito de São Paulo)

Há vinte e dois anos existe no Brasil o Programa de Controle do Ar por Veículos Automotores, o Proconve, sigla um tanto desconhecida mas que representa uma das maiores vitórias em termos de política pública no País. O Proconve atravessou vários governos cumprindo rigorosamente metas de controle de poluição e gerando benefícios extraordinários para a saúde de milhões de pessoas que vivem nas cidades.

Foi criado em 1986 pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), com o objetivo de reduzir gradualmente a emissão de poluentes provocada por veículos leves e pesados, adaptando padrões de qualidade dos países desenvolvidos à realidade brasileira. Nas primeiras fases os veículos leves tiveram prioridade, dado seu maior número no meio urbano. Foram eliminados os modelos mais poluentes e introduzidas novidades como a injeção eletrônica, os catalisadores e a mistura do etanol na gasolina, numa proporção inédita no mundo.


O ministério do Meio Ambiente, em várias administrações, e os órgãos estaduais de meio ambiente sempre fizeram todo o esforço para o sucesso do programa. Não foi suficiente. A responsabilidade não foi assumida pelos demais órgãos do Governo. A sociedade vinha se articulando para cobrar do Poder Público providências que não representassem a consolidação da política do leite derramado. No início deste ano, após reiteradas manifestações do MMA e do Ibama, cobrando as providências necessárias para o cumprimento da Lei, participei de evento público realizado em São Paulo por diversas entidades. Elas haviam ingressado com ação na Justiça contra as instituições e gestores responsáveis pelo desleixo e pelo desrespeito à legislação que poderia resultar em prejuízos irreparáveis.

O Programa de Inspeção Veicular Ambiental está em implantação na capital da Saõ Paulo desde 2007, quando foi dada a ordem de início. Trata-se de uma medida que visa minimizar as emissões de poluentes pelos veículos registrados na cidade, buscando estimular seus proprietários a fazerem a manutenção adequada e manter as emissões de seus veículos dentro dos padrões recomendados pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

A Prefeitura de São Paulo inaugurou em maio de 2008 o Centro de Inspeção Ambiental Veicular Jaguaré, o primeiro do Programa de Inspeção Ambiental Veicular do país. Nele, serão avaliados primeiramente, veículos a diesel .

A partir daquela data, todos os veículos a diesel terão de passar pela inspeção. Até setembro, seis centros serão inaugurados para atender a toda a frota a diesel, calculada em cerca de 300 mil veículos pelo Detran. Fazem parte dela caminhões, caminhonetes, ônibus e vans.

Para realizar a inspeção, os motoristas terão de pagar uma tarifa de R$ 52,73, que será reembolsada posteriormente. Kassab esclareceu que a taxa é paga na hora em que o motorista fizer a inspeção. "No caso de não ser aprovado, ele volta 30 dias depois [para nova inspeção].

Os veículos têm 90 dias a partir da data de licenciamento para fazer a inspeção. Se não cumprirem o prazo, estarão sujeitos a multa de R$ 550 e terão o licenciamento bloqueado no ano seguinte, segundo o secretário Eduardo Jorge (Verde e Meio Ambiente).

Os outros veículos (a gasolina, gás e álcool) terão de passar pela inspeção no ano que vem, quando 35 centros de inspeção estarão em funcionamento.

Carlos Minc (ministro do meio Ambiente)




A meta brasileira era reduzir, até 2009, a quantidade de partículas de enxofre no diesel utilizado nos veículos de todo o país, mas não será cumprida, afirmou Carlos Minc (Atual ministro do Meio Ambiente) na época, que sucedeu Marina Silva, logo após seu pedido de demissão ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. .

Segundo ele, dizia que era "fisicamente impossível" fazer a redução em todo o país, devendo-se priorizar grandes metrópoles, mas que as negociações deveriam ser feitas pelo Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente). "A única solução é estabelecer o que é possível fazer ate o inicio de 2009 nas grandes metrópoles".

Minc afirmou também, que a culpa não pode ser atribuída apenas à Petrobras, principal fornecedora do diesel disponível atualmente no país, mas aos diversos envolvidos no processo, como fabricantes de motores.

Marina vinha entrando em conflitos com outros ministérios naquela época (2008), como a Casa Civil e a Agricultura, em casos e questões que opõem proteção ambiental a interesses econômicos.

O não cumprimento do prazo, por parte da ANP, provocou uma quebra na ação do Proconve, o que nunca tinha acontecido em 22 anos. A Petrobras, por sua vez, não viabilizou os investimentos indispensáveis e as montadoras não realizaram os testes dos motores.



A proporção hoje é de 500 ppmS nas regiões metropolitanas e de 2000 ppmS no interior. O enxofre é cancerígeno e responsável pela morte de 3 mil pessoas por ano na capital paulista, conforme estudos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

No Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental da USP, coordenado por Saldiva, os pesquisadores calcularam que o custo da sujeira lançada no ar de São Paulo - incluindo enxofre e demais gases - gira em torno de US$ 1 bilhão por ano. A conta leva em consideração os gastos com internações hospitalares e os prejuízos que resultam dos dias perdidos de trabalho e das mortes. Para o Brasil, ao considerar as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Curitiba e Recife, o impacto financeiro supera o dobro do paulistano.

Após a polêmica que envolveu, há dois anos, o não cumprimento de uma determinação do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), a Petrobras está investindo R$ 6 bilhões para lançar o diesel com teor reduzido de enxofre, um dos poluentes atmosféricos mais preocupantes nas cidades por causar doenças. A meta é diminuir a concentração da substância tóxica para 10 partes por milhão (ppm), com prazo para o produto entrar no mercado até o começo de 2013, quando os veículos pesados, como caminhões e ônibus, começarão obrigatoriamente a sair de fábrica com motores preparados para o novo combustível.

Pela norma do Conama, a Petrobras estava inicialmente obrigada a diminuir o enxofre no diesel metropolitano de 2000 para 50 ppm até janeiro de 2009, atendendo às metas do Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve). Mas o investimento foi postergado, em parte porque a Associação Nacional do Petróleo (ANP) tinha que determinar a nova especificação do combustível com o mínimo de três anos de antecedência, em janeiro de 2006, o que só aconteceu em 2008.

Após ampla repercussão sem que o governo federal conseguisse resolver o embate, o caso chegou ao Ministério Público, onde foi fechado um acordo que estabeleceu um novo prazo, com uma redução maior do enxofre, para 10 ppm, nível internacional considerado limpo. Pelo acordo, até o lançamento desse diesel, a Petrobras se comprometeu a colocar em algumas praças o produto com 50 ppm, como já ocorre em São Paulo, Recife, Fortaleza e Belém. "Apesar da melhora, o resultado contra a poluição não é eficiente, porque os caminhões ainda não começaram a ser fabricados com as mudanças no motor".

O diesel sujo é o maior vilão da poluição nas cidades. "Sozinho, sem contar os demais poluentes, causará 25 mil mortes na capital paulista até 2030, se nada mudar na sua qualidade", diz o pesquisador Paulo Saldiva, da Faculdade de Medicina da USP, especialista em impactos da poluição à saúde, consultado pelo Ministério Público no caso da Petrobras. "O investimento para diminuir as emissões do diesel proporcionará uma economia oito vezes maior com a redução de seus impactos, dinheiro suficiente para renovar a frota de caminhões e melhorar a qualidade do combustível.

Em São Paulo, a poluição causa uma média de 19 mortes por dia. Em 2009 o número de mortes atingiu 7 mil - uma perda silenciosa, "uma conta que precisa fazer parte das planilhas econômicas para decidir investimentos".

Fica aqui a questão,
"como inspecionar um veículo no município de São Paulo, que é movido a um tipo de combustível que não atenderá as normas do conselho Nacional de Meio Ambiente até 2014???"

segunda-feira, junho 23, 2008

Expedição Guarapiranga


falta de saneamento básico nas áreas periféricas, problema antigo mas protelado pelo poder público

Infelizmente a expedição Guarapiranga, ação da Campanha De Olho nos Mananciais em parceria com o Estúdio Madalena, que aconteceu em 01 de junho, não apresentou um relatório favorável a quem necessita da represa para subsistência. Como se pode ver pelas Imagens tiradas por vários voluntários, a situação dos mananciais que abastecem a represa e a própria, se encontram em estado de calamidade.

lixão clandestino mantido pela prefeitura de Embú Guaçu, de onde nasce as principais fontes que abastecem a represa

A de se pensar urgentemente em soluções a curto, médio,e longo prazo para este reservatório indispensável para Zona Sul. Caso contrário Teremos um reservatório como os rios pinheiros e tietê.

http://www.mananciais.org.br/expedicao/

Forum de transportes Zona Sul


A PROXIMA REUNIÃO SERÁ DIA 27/06/08 NA SUBPREFEITURA DE M'BOI MIRIM.
AS 10H00.


Com o intuito de amenizar os problemas de transportes públicos na região de M' Boi Mirim e Capão Redondo, lideranças comunitárias se unem para cobrar e oferecer alternativas viáveis para melhoria do caos urbano na zona sul.

Compoem a mesa do Forum

-ESTANISLAU RYBCZYNSKI LIDER COMUNITÁRIO
-ROSSINI AUGUSTO PROMOTOR DE JUSTIÇA
-CARLOS CHEFE DE GABINETE SUBPREFEITURA M' BOI MIRIM
-ANTÔNIO CARLOS/ HIDELY CET
-KARL MARX/ SHINGAI/ JOÃO LINDOLFO SPTRANS

O que pede a população local:

Lobo reclama da lentidão no corredor. “Saio de casa às 6h30 para chegar ao trabalho, em Pinheiros, às 9h. Já tentei ir de ônibus o caminho todo e cheguei ao trabalho às 10h45”, contou. Nesta sexta, ele disse que andou até a Avenida Guarapiranga e entrou num ônibus. Cerca de 10 minutos depois, com o coletivo ainda parado no ponto, ele ouviu o alerta do motorista que era melhor descer. Ele alega que logo depois foi pego pela polícia e levado apara o 102º DP, em Capela do Socorro, onde depois do registro da ocorrência, foi liberado. “Que crime eu cometi? Querer um transporte de qualidade?”, questionou o balconista na delegacia.


O forum de transporte é aberto a todos, só se pede, documetar em duas vias de papel sulfite as reivindicações que por ventura queiram fazer.

sábado, junho 21, 2008

Música com arte





Apresentaram-se na Fábrica de Criatividade no Capão Redondo, o grupo musical Culto ao Rim (http://www.myspace.com/cultoaorim), nome bem abstracto assim como seus integrantes.


Toda semana a Fábrica procura trazer artistas da cena undergroud (subterrâneo), é uma boa forma para se trocar experiências com os músicos de vários ritmos locais, além de apresentarem seu trabalho também. Bruno Simmons sax tenor, Felipe Corsini guitarra, Gabriel Maia baixo, Carlinhos Mazzoni bateria, intercalam-se entre a música e o desenho.
Suas influências vem do Jazz, groove, choros, sambas, tangos . Por onde tocam levam consgo seus desenhos para exposição.



http://fabricadecriatividade.com.br/

segura essa..


Fonte:
globo.com

Problemas com urnas eletrônicas prejudicam 'superterça' nos EUA
Governador de Nova Jersey esperou 45 minutos para votar.
Principal falha é a ausência de comprovante do voto.

Em plena "superterça" 05/02/2008, quando milhões de americanos em 24 estados participam de primárias democratas e republicanas, as atenções nos Estados Unidos se voltaram para as falhas técnicas apresentadas por urnas eletrônicas.

As autoridades eleitorais já registraram problemas no estado de Nova Jersey, onde o governador Jon Corzine teve que esperar 45 minutos para votar devido a problemas com as urnas em uma estação de bombeiros.

Os eleitores americanos que compareceram para votar nas primárias do estado da Geórgia enfrentaram longas filas e problemas com as máquinas de votação, segundo revelou o jornal "Los Angeles Times".

Em um centro de votação em Atlanta, os eleitores tiveram que votar em cédulas de papel, após a máquina de votação ter apresentado problemas.

Problemas
Assim como ocorreu em 2004, o problema das urnas eletrônicas recai sobre a ausência de um comprovante impresso que seria útil para uma auditoria ou mesmo na apuração dos votos. Além disso, as máquinas são vulneráveis a vírus de computador que podem alterar os resultados.

Um estudo recente da Universidade da Califórnia em Berkeley destacou que, devido a esses problemas, o voto eletrônico não é suficientemente confiável e seguro.

Após um teste de US$ 1 milhão, o Governo do estado da costa oeste americana determinou que, devido aos problemas com as máquinas em muitos lugares, os centros eleitorais deverão manter comprovantes impressos de todos os votos.

Mais de vinte condados na Califórnia abandonaram o uso da urna eletrônica por causa da falta de garantias sobre sua segurança.

As autoridades dos EUA popularizaram o uso das urnas eletrônicas nas eleições presidenciais de 2004 e nas legislativas de 2006.

Se deixa enganar quem quer!!

sexta-feira, junho 20, 2008

Quem não leu, "O Higienista"


MANIFESTO

Desde que o ex-embaixador na Itália, Andrea Matarazzo, tomou posse, por nomeação do prefeito de São Paulo, José Serra em 2006, como subprefeito da Sé, ele tem levado a toda a cidade a uma guerra civil entre a sociedade formal e informal, "Adoro problema", ele disse.

Para Andrea Matarazzo, ordem, segurança e limpeza se resumem na higienização do espaço público e em algumas ocasiões, do espaço privado: ele expulsa e despeja pessoas.

Além da prefeitura diminuir o número de ônibus que circulam, Andrea Matarazzo, em nome da "democratização do acesso ao centro", vai gastar nosso dinheiro com a abertura dos calçadões do centro, retapetando as vias para os carros particulares chegarem mais perto... caminhar é tão perigoso!


Quando Andrea Matarazzo vê algum lugar tomado por pessoas de baixa renda, vivendo com as dificuldades que essa situação lhes impõe, ele ali enxerga "sujeira" e diz que vai arrumar: "Vamos limpar a cracolândia!" Assim, nosso herói, bem no meio da "cidade catástrofe" espera "salvar" algumas quadras: nossos parabéns! Enquanto as necessidades reais das pessoas se mantêm, elas são empurradas para o quarteirão ao lado. Andrea Matarazzo quer repetir o fracasso policial de uns 30 anos atrás, quando o nosso bairro da Luz se chamava "boca de lixo".

Hoje , teme e impede a criação dos conselhos de representantes da população do centro. A mando do prefeito, o Sr. José Serra, foi congelado o processo que levaria maior democracia à política da região central. Esses homens que se dizem “de bem” (ou de bens?), fazem de tudo, mas apenas a partir de as suas idéias, enquanto os problemas que vivemos deveriam ser decididos por todos!

Como sec. de subprefeituras, foi responsável por vários "remanejamento de verbas, de uma subprefeitura para outra" . Como ocorreu na suprefeitura de M' Boi Mirim em 2006, que afetou diretamente os projetos socioculturais que estavam sendo implantado na época, em parceria de várias ongs da região, que acabaram tendo que arcar com os prejuízos devido ao cancelamento do contrato.

manifesto lido e distribuído diante da mansão onde mora Andrea Matarazzo

O que o homem alega

A prefeitura age com isonomia e rigor. E faz cumprir a lei. Seja em regiões pobres ou nobres. Não fazemos distinção. Não vamos abrir mão de fiscalizar obras clandestinas, de interditar e lacrar estabelecimentos que não disponham de licença de funcionamento por pertencer a fulano ou beltrano. A lei é igual para todos.

Em dois dias de ações integradas, já é possível ver que a operação permitirá melhorar bastante a Estrada de M’Boi Mirim, não só do ponto de vista da segurança para pedestres e motoristas, como também para o comércio local, que se beneficiará com a reordenação do espaço público”, concluiu o secretário das Subprefeituras, Andrea Matarazzo.

Angelo Andrea Matarazzo é um empresário e político brasileiro.
Graduado em Administração de Empresas, é, atualmente, presidente licenciado da Matarazzo SA Holding e da Metalma SA. Ingressou na administração municipal de São Paulo como subprefeito da Sé na gestão de José Serra, em 2005. Assumiu também, em 2006, a Secretaria Municipal de Serviços, como subprefeito e secretário (de Coordenação das Subprefeituras) na gestão de Gilberto Kassab. Deixou o posto em 3 de abril de 2008, para concorrer às eleições municipais para vereador.


Outubro vem chegando....

Vista esta camisa



Representantes do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) entregaram na última segunda-feira (16/6) ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, texto do novo projeto de lei de iniciativa popular que visa alterar a Lei de inelegibilidades para impedir a candidatura de políticos de "ficha suja" a cargos eletivos.

O projeto de lei tem como objetivo impedir a candidatura de políticos condenados, desde a primeira instância, por crimes eleitorais e outros crimes de improbidade que tornam o candidato inaptos ao mandato eletivo. A proposta será enviada ao Congresso Nacional. Os militantes do MCCE já iniciaram a coleta de assinaturas. Segundo dados do TSE serão necessárias um milhão e trezentas mil assinaturas para cumprir o requisito exigido na lei.

acesse http://www.lei9840.org.br/projetodelei.htm


O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), fez ressalvas à proposta do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Ayres Britto, de divulgar as "fichas sujas" dos candidatos nas eleições municipais deste ano. Para o petista, dependendo de como a informação for tornada pública, pode "induzir ao erro". (Você votaria em quem é alvo de processo?)

Jornada On Line

Expedição Cultural


Em 05 julho de 2008
um grupo de Artistas partirá da Zona Sul de São Paulo
rumo a Cananéia, realizando o segundo trecho da
Caminhada Cultural pela América Latina.

http://www.expediciondondemiras.blogspot.com/

Seminário de educação


SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO


Boa parte dos alunos não contam com um início de vida escolar muito atrativo. Quando não possuem alguma deficiência física que os prejudique no aprendizado, a estrutura familiar também colabora para que o sucesso do jovem esteja cada vez mais distante.

FAÇA A SUA INSCRIÇÃO DO SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO POR E-MAIL OU PESSOALMENTE NO CEDECA JARDIM ÂNGELA .


DIA 24 DE JUNHO/2008
Horário 9h às 13h

FAÇA SUA INSCRIÇÃO PELO TELEFONE:5834-1335 ou pelo e-mail cedecajdangela@yahoo.com.br

local: Rua Luís Baldinato, nº09. Jd Ângela (r. da casas bahia)

EM CASO DE DÚVIDAS 5834-1335

A velha reclamação acerca dos baixos salários e as condições de trabalho não podem ser argumento para frear a evolução. Se queremos mudar o ciclo maldito da constante formação de cidadãos alienados e alheios as mazelas do nosso país, devemos agir.


Mudar é dificil mas é possivel...
Paulo Freire


PROGRAMAÇÃO
8h30 min _ Credenciamento
9h00min _ Abertura

9h 10min: 1° Mesa

Reflexão sobre: Quais os fatores que dificultam a prática de uma educação de qualidade?
Com relação a proposta pedagógica, quais as dificuldades enfrentadas na implementação e que ações estão sendo viabilizadas para garantir a eficácia da proposta?

Moacir Pinto da Silva
Educador; Sociólogo; Mestre em Sociologia do Desenvolvimento; Graduado na Escola de Governo de São Paulo; Autor do livro: Conto de Vista.

Lígia Branco Belizário
Coordenadora Educação Sul II.

Marcelo Rinaldi
Coordenador de Educação Campo Limpo e M´Boi Mirim.
10h30min _ Coffee break

10h50min: 2° Mesa


Orçamento Participativo - Educação
Odilon Guedes / Graduado em Economia – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Membro da Comissão de Finanças e Orçamento e da Comissão Extraordinária do Idoso da Câmara Municipal de São Paulo - 2003/2004. Consultor do Instituto Polis. Foi colaborador do Jornal Folha de São Paulo e Diário de São Paulo.

Prevenção também se ensina.
Celina Simões Grigoleto / Professora de história. Coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher – Casa Sofia. Cursando: Escola de Governo de São Paulo.

Plano Municipal de Educação
Cristina Andressa Bezerra/ Ex Sub-prefeita de M’Boi Mirim.

12h15min – Debate.

13h00min – Encerramento.


“A experiência não é o que acontece com um homem; é o que um homem faz com o que lhe acontece”
(Aldous Huxley)



Propostas defendidas no Fórum:


• Salas de aulas com no máximo 25 alunos.


• Descentralização das coordenado-rias de educação.


• Implantar cursos profissionalizan-tes para os jovens, formatados de acordo com a necessidade local, e que estes cursos tenham bolsa de estudo.


• Projeto de cuidar de quem cuida (para profissionais da educação).

Cinema na faixa, Pq. Sto. Antônio



SACOLÃO DAS ARTES
(antigo sacolão Pq. Sto. Antônio)
Avenida José Cândido Xavier, 577 - (Entrada pela Rua Antonio Amaral)
Cep.: 05851-220 - Pq. Santo Antônio São Paulo / SP
(11) 5819.2564



Quinta-feira 03 de julho às 19h00 – Sessão de Abertura

O homem que virou suco, de João Batista de Andrade

São Paulo, 1979, ficção, pb, 95' - 16 anos



Sexta-feira 04 de julho às 20h00

Cão sem dono, de Beto Brant

São Paulo, 2007, ficção, cor, 87' - 18 anos


Sábado 05 de julho às 20h00

O céu de Suely, de Karim Aïnoz

Ceará, 2006, Ficção, cor, 88' - 16 anos


Domingo 06 de julho às 19h00

Zumbi somos nós, Frente 3 de fevereiro

São Paulo, 2007, documentário, cor, 52' - Livre



Quinta-feira, 10 de julho às 19h00 I Sessão Cine-escola I - 10 anos

O ano em que meus pais saíram de férias, de Cao Hamburguer

São Paulo, 2006, ficção,cor,106'


Sexta-feira, 11 de julho às 20h00 - 16 anos

Proibido proibir, de Jorge Durán

Rio de Janeiro, 2007, ficção, cor, 100'


Sábado, 12 de julho às 20h00 - 10 anos

Fabricando Tom Zé, de Décio Mattos Jr.

São Paulo, 2006, documentário, cor, 88'


Domingo, 13 de julho às 19h00 - Livre

Preto contra branco, de Wagner Morales

São Paulo, 2004, documentário, cor, 55'


Sexta-feira, 18 de julho às 20h00 - 14 anos

Madame Satã, de Karim Aïnouz

Rio de Janeiro, 2001, ficção, cor, 105'


Sábado, 19 de julho às 20h00 - 16 anos

Batismo de sangue, de Helvécio Ratton

Brasil/França, 2006, ficção, cor, 110'


Domingo, 20 de julho às 19h00 - 16 anos

Saneamento básico - o filme, de Jorge Furtado

Porto Alegre, 2007, ficção, cor, 112'


Sexta-feira, 25 de julho às 20h00 - 16 anos

Árido Movie, de Lírio Ferreira

Pernambuco, 2006, ficção, cor,115'


Sábado, 26 de julho às 20h00 - 12 anos

Harmada, de Maurice Capovilla

Rio de Janeiro, 2005, Ficção, cor, 103'



Domingo 27 de julho às 19h00 I Encerramento I

Terra em transe, de Glauber Rocha - 14 anos
Rio de Janeiro, 1967, ficção, pb, 105'

segunda-feira, junho 16, 2008

Pra reletir


Procure os seus caminhos, mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!"

(Fernando Pessoa)
Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.sobre fernando Pessoa http://www.secrel.com.br/jpoesia/pessoa3.html

quarta-feira, junho 11, 2008

Show na Faixa Capão Redondo, 14/06



http://www.bazarpamplona.blogspot.com

Na Faixa Arraial No Jd. Monte Azul e Jd. Horizante Azul


Data: 28/6/2008 - Sábado
Horário: 18 horas
Local: Centro Cultural Monte Azul
Evento: ARRAIÁ DA MONTE AZUL
Festa Junina

Venha prestigiar nosso Arraiá!


Surgida provavelmente na década de 60, a favela Monte Azul fica na região do Jardim São Luiz. Possui 2.000 moradores que vivem em 480 casas de alvenaria(antigos barracos de madeira) erguidas em mutirões comunitários. A população é proveniente de estados do nordeste brasileiro, de Minas Gerais e do Paraná. Os mais jovens nasceram e se criaram na própria favela. O ambiente é amigável e tranqüilo. Todos se conhecem e se cumprimentam.



Data: 28/6/2008 - Sábado
Horário: 14 horas
Local: Núcleo Horizonte Azul
Evento: ARRAIÁ DO HORIZONTE AZUL
Festa Junina
Venha prestigiar nosso Arraiá!

Horizonte Azul é um bairro próximo à represa de Guarapiranga. Essa região de manancial é de povoamento recente, iniciado nos últimos 15 anos*. Seus moradores vieram do nordeste e norte do Brasil e interior do estado de São Paulo.

Era uma zona rural, com pequenos sítios e muita área verde. As dificuldades enfrentadas pelos moradores fizeram com que surgissem inúmeras favelas e loteamentos clandestinos, além de invasões.

O local de atuação da Monte Azul ainda apresenta o perfil de chácara e tornou-se um pequeno oásis no meio do concreto que avança indefinidamente.



e-mail centrocultural@monteazul.org.br
telefone (11)5851-5370

São Paulo de Piratininga


São Paulo hoje é realmente uma cidade global? Para todos seus moradores? Qual trecho de São Paulo segue um padrão mundial – isto é, quantas São Paulo existem (ou co-existem)? Afinal, o que é uma cidade global: ou melhor, em que difere uma cidade global das tradicionais cidades?


José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, escalaram a serra do mar chegando ao planalto de Piratininga onde encontraram "ares frios e temperados como os de Espanha" e "uma terra mui sadia, fresca e de boas águas". Do ponto de vista da segurança, a localização topográfica de São Paulo era perfeita: situava-se numa colina alta e plana, cercada por dois rios, o Tamanduateí e o Anhangabaú.


O século XX, em suas manifestações econômicas, culturais e artísticas, passa a ser sinônimo de progresso. A riqueza proporcionada pelo café espelha-se na São Paulo "moderna", até então acanhada e tristonha capital.


Trens, bondes, eletricidade, telefone, automóvel, velocidade, a cidade cresce, agiganta-se e recebe muitos melhoramentos urbanos como calçamento, praças, viadutos, parques e os primeiros arranha-céus.
Na década de 20, a industrialização ganha novo impulso, a cidade cresce (em 1920, São Paulo tinha 580 mil habitantes) e o café sofre mais uma grande crise. No entanto, a elite paulistana, num clima de incertezas mas de muito otimismo, frequenta os salões de dança, assiste às corridas de automóvel, às partidas de foot-ball, às demonstrações malabarísticas de aeroplanos, vai aos bailes de máscaras e participa de alegres corsos nas avenidas principais da cidade. Nesse ambiente, surge o irrequieto movimento modernista. Em 1922, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Luís Aranha, entre outros intelectuais e artistas, iniciam um movimento cultural que assimilava as técnicas artísticas modernas internacionais, apresentado na célebre Semana de Arte Moderna.

Nos anos 50, inicia-se o fenômeno de "desconcentração" do parque industrial de São Paulo que começou a se transferir para outros municípios da Região Metropolitana (ABCD, Osasco, Guarulhos, Santo Amaro) e do interior do Estado (Campinas, São José dos Campos, Sorocaba).



Esse declínio gradual da indústria paulistana insere-se num processo de "terciarização" do Município, acentuado a partir da década de 70. Isso significa que as principais atividades econômicas da cidade estão intrinsecamente ligadas à prestação de serviços e aos centros empresariais de comércio (shopping centers, hipermercados, etc). As transformações no sistema viário vieram atender a essas novas necessidades.

Nas décadas de 1960 e 1970 o governo estadual promove diversas obras que incentivam a economia do interior do Estado, esvaziado desde a quebra do café em 1930.

A abertura e duplicação da Via Dutra (BR-116) recupera e industrializa o Vale do Paraíba, que se concentra em torno da indústria aeronáutica de São José dos Campos.


Para o Oeste, a implantação do Aeroporto Internacional de Viracopos, a criação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) a abertura de rodovias como a Rodovia Anhangüera e o implemento de técnicas modernas de produção, em especial da cana-de-açúcar e de seu subproduto, o álcool combustível, levam novamente o progresso às regiões de Campinas, Sorocaba e Ribeirão Preto e Franca.
a href="http://2.bp.blogspot.com/_nlpp_8vZxes/SE-lo0V5aMI/AAAAAAAABDU/kVK4pPpqhRQ/s1600-h/sampaantiga1gc.jpg">


Este processo de recuperação econômica do interior intensifica-se a partir da década de 1980, quando inúmeros problemas urbanos, como violência, poluição e ocupação desordenada, afligem a Região Metropolitana de São Paulo. Entre 1980 e 2000 a grande maioria dos investimentos realizados no Estado é feito fora da Capital, que passa de uma metrópole industrial para um pólo de serviços e finanças. O interior, em especial o eixo entre Campinas - São Carlos - Ribeirão Preto - Franca -Sorocaba - São José dos Campos - Taubaté torna-se industrializado e próspero.

Periferias da capital hoje

-Menor acesso aos serviços e à infra-estrutura urbana;
-Menor oportunidades de emprego e profissionalização;
-Maior exposição à violência;
-Discriminação de todos os tipos;
-Difícil acesso à Justiça, ao lazer, ao transporte e, em resumo, à cidade oficial.




Dois mapas que explicam São Paulo hoje: à esquerda, as regiões mais vermelhas são áreas onde a juventude está mais exposta ao crime e à violência; à direita, as áreas mais claras representam os subdistritos com menor poder aquisitivo. A coincidência não é ao acaso.