segunda-feira, janeiro 31, 2011

"Periferias", mais conhecida como, "Curral eleitoral"



Moradores tentam fazer protesto contra atraso de obras em uma caixa d'água da sabesp, que vem trazendo transtorno aos moradores em uma das regiões mais povoada da cidade.

Os jornalistas que fazem a cobertura aérea, muitas vezes sem moto link, costumam passar informações equivocadas do que realmente ocorre do lado da ponte pra cá..

Assista ao vídeo, e depois compare com as informações abaixo..



Não é de hoje que a região se encontra com problemas.

Em 2009 um protesto de moradores que estava sem água do último blecaute que atingiu parte do país, e as ruas Dias da Silva e Plínio Dias, na Vila Calu, bairro situado no distrito de Jardim Ângela, que foram as mais afetadas pela falta do fornecimento de água na região.

Como a Sabesp informara que a distribuição voltaria parcialmente na tarde do dia seguinte, um sábado, os moradores decidiram encerrar o protesto.

Mas a água não chegou às torneiras de todas as casas do bairro em pleno domingo.

Uma das manifestantes do protesto na estrada do M'Boi Mirim contou que Polícia Militar, chamada para controlar a manifestação, agrediu alguns moradores e chegou a prender um deles.



A região também é conhecida pelos vários afluentes que desenbocam na represa do Guarapiranga, como por exemplo o Rio Boi Mirim, e com as chuvas de verão, muitos cidadãos que moram em ruas asfaltadas, perderam bens materiais, e até vidas.

Em outra tentativa de exercer os direitos de cidadão, a Polícia Militar na intenção de manter a ordem, reprimiu com violência moradores que protestavam contra enchentes no Jardim Germânia, região do Capão Redondo, vizinho ao distrito de Jd. Ângela zona sul da capital, na noite de terça-feira, 25, aniversário da cidade. Os manifestantes, cansados de perder móveis e eletrodomésticos nos seguidos transbordamentos do Córrego dos Freitas, atearam fogo em lixo acumulado na rua e pneus dentro de caçambas, até serem atingidos por balas de borracha e nuvens de gás pimenta disparados pela Força Tática. Sete homens foram detidos e um adolescente, apreendido.



“Sempre que chove a rua alaga e perdemos tudo. Faz 20 anos que isso acontece. Passou Maluf, Erundina, Pitta, Marta, (*) Kassab, e ninguém resolve”, disse o confeiteiro Lélio Pereira da Silva, 40 anos, enumerando no dedo as gestões municipais. Os moradores querem a canalização do Córrego dos Freitas, cujo projeto, feito em 2007 pela Drenatec Engenharia, por R$ 247 mil.

Segundo o mestre de obras João Batista Rodrigues da Silva, 44 anos, o bairro é prejudicado por um jogo de empurra entre as subprefeituras do Campo Limpo e do M’Boi Mirim. O córrego fica na divisa entre as duas e, segundo ele, ninguém assume a responsabilidade pela limpeza das margens.

“Enquanto eles brigam, a gente continua sofrendo”, disse. De acordo com João Batista, as enxurradas trazem muito lixo, que lota a rua e a entrada das casas. “Depois das enchente a Prefeitura vem, dá um colchão e uma cesta básica. Mas na próxima chuva a gente perde tudo de novo”, disse.

as regiões 17 e 18 e 19 identificadas no mapa da capital, respectivamente Campo Limpo, M' Boi Mirim e Capela do Socorro, que se dividem em vários distritos, os quais absorvem vários bairros. Sómente na M' Boi Mirim são 84 bairros em dois distritos.

As região de M' Boi Mirim, tem hoje cerca de 500.000 habitantes, a de Capão Redondo chega quase a 1000.000 habitantes. Estão localizadas no extremo sul da quinta maior metrôpole do mundo, a mesma metrôpole que se gaba dos arranha céus, da terceira maior frota de helicóptero do mundo, e das grandes obras públicas.. Sim, obras por exemplo como a de recuperação dos mananciais (PRM Obra do estado em parceria com município iniciada em 2008), que tem R$ 1.200.000,00 investidos somente nessas regiões, que sofrem com os mesmos problemas de décadas, e pior que não sanam nunca o problema de tratamento de esgoto que esta cidade não possui até hoje...

Não é a tôa o pseudo que regiões como esta da capital de São Paulo recebe, "Curral eleitoral". Prometem mundos e fundos na véspera de eleições, para depois...




Vida de gado, povo marcado, povo feliz.
Zé Ramalho

Ver mais;
http://cradesmboimirim.blogspot.com/2010/09/obras-do-programa-de-recuperacao-de.html

quinta-feira, janeiro 20, 2011

Ditadura militar foi extinta???



Ditadura militar ou regime militar é uma forma de governo onde o poder político é efetivamente controlado por militares. Como qualquer ditadura ou regime, ela pode ser oficial ou não. Também existem formas mistas, onde o militar exerce uma influência muito forte, sem ser totalmente dominante.


No passado, regimes militares tenham justificado o seu governo como uma forma de trazer estabilidade política para a nação ou resgatá-lo das ameaça de "perigosas ideologias".

Regiões da América Latina, da África e o Oriente Médio foram as áreas comuns de regimes militares. Uma das razões para isso é o fato de que os militares tem frequentemente mais coesão e também estrutura institucional do que a maioria das instituições da sociedade civil.



Estudantes que manifestavam pelo passe livre e contra o aumento dos coletivos no centro de SP foram reprimidos com violência pela PM no fim da tarde desta quinta-feira, 13 de janeiro de 2011. Os policiais disparam balas de borracha a curta distância contra os jovens.

A Constituição prevê que o limite da manifestação de livre pensamento é de não ameaçar a ordem. Porém, ela não estabelece o que seja a ordem, e delega a imposição desta à organização do Estado.

Há momentos na vida em que se calar torna uma culpa, e falar um dever, uma obrigação, ou seja, um imperativo categórico a que não temos como fugir”.

a onblur="try {parent.deselectBloggerImageGracefully();} catch(e) {}" href="http://4.bp.blogspot.com/_nlpp_8vZxes/TTiKKJehQRI/AAAAAAAAEVg/8rwU4FPvUNA/s1600/ditadura.jpg">

Notícias que não circulam...



Apesar de estar prestes a anunciar um plano para retirar de áreas de risco cerca de 115 mil pessoas, a Prefeitura de São Paulo não encontrou solução para a situação das famílias que foram desalojadas em anos anteriores e estão em abrigos provisórios.

Um exemplo é um alojamento no Capão Redondo, zona sul, onde vivem cerca de 60 famílias. Sob condições precárias, os desalojados deveriam permanecer no local por no máximo seis meses, mas uma parte das famílias chegou em 24 de junho de 2005, vindas de áreas de risco da região do M'Boi Mirim. De lá para cá, houve invasão de sem-teto de várias regiões e unidades foram vendidas de uma família para outra. O local tem unidades de alvenaria, em que cada família ocupa um único cômodo com banheiro.

Em nota, a Prefeitura afirma que "em situações emergenciais, as subprefeituras, junto com a Defesa Civil, são responsáveis pelas interdições". Os moradores são cadastrados e é feito o pagamento do auxílio habitacional, que pode ser emergencial (somente 3 meses), sem o compromisso de atendimento em unidade habitacional definitiva.



Construções em áreas de risco seja elas regulares ou irregulares, se dão pela falta de planejamento por parte dos municípios, que deveriam atender juntamente com a união, a demanda por moradias nas cidades.

O Plano Local de Habitação de Interesse Social é um instrumento de implementação do Sistema Nacional de Habitação – SNHIS, que objetiva promover o planejamento das ações do setor habitacional de forma a garantir o acesso à moradia digna, a expressão dos agentes sociais sobre a habitação de interesse social e a integração dos três níveis de governo, federal, estadual e municipal, também conhecido como PAC da Habitação.

Nos primeiros quatro meses do ano de 2010, as contratações no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em habitação e saneamento alcançaram R$ 22,5 bilhões. O 10º Balanço, divulgado em Brasília, mostra que desde o lançamento do programa em 2007, as operações contratadas nessas áreas somam R$ 208,7 bilhões. O resultado demonstra a força do PAC na economia, disse o ministro das Cidades.



Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

A Constituição da República Federativa do Brasil apresenta no caput do artigo 6º, dentre outros direitos sociais, o direito à moradia. Porém, não nos falta o conhecimento da quantidade de pessoas que sobrevivem nas ruas das grandes cidades, que moram em locais sem as devidas condições sanitárias, que vivem em áreas de riscos. Quando se passa perto do “habitar” desses cidadãos, poucas vezes paramos para refletir sobre o que deve ter se passado na vida deles, da família deles, para que lhes restasse tão somente aquela opção de vida. Por certo que essa é uma questão subjetiva, e que nos tornaríamos loucos se ficássemos a todo o momento nos indagando sobre as questões intimas de todos aqueles cuja realidade é a marginalização pelo sistema capitalista. Mas temos o dever de indagar quanto à atuação da mão de ferro do Estado, quanto à efetividade dos direitos constitucionais, o resguardo aos direitos humanos.


Fonte:
O Estado de S. Paulo
http://www.cidades.gov.br/secretarias-nacionais/secretaria-de-habitacao/site/plano-local-de-habitacao-de-interesse-social
http://www.cidades.gov.br/noticias/em-quatro-meses-contratados-r-22-5-bi-no-pac-saneamento-e-habitacao/

terça-feira, janeiro 11, 2011

O Haití não é aqui ??? Resumo de poder.



Poder militar, poder da elite, poder da natureza, os poderosos que estão no poder contra os que estão alijados do poder, o poder está em todas as frases e todas as bocas, mas o que é afinal o Poder ?

Poder (do latim potere) é, literalmente, o direito de deliberar, agir e mandar e também, dependendo do contexto, a faculdade de exercer a autoridade, a soberania, ou o império de dada circunstância ou a posse do domínio, da influência ou da força.
A sociologia define poder, geralmente, como a habilidade de impor a sua vontade sobre os outros, mesmo se estes resistirem de alguma maneira. Existem, dentro do contexto sociológico, diversos tipos de poder: o poder social, o poder econômico, o poder militar, o poder político, entre outros.



No último dia de votação efetiva na Câmara dos deputado em Brasília(dezembro de 2010), o plenário aprovou o projeto de aumento de 61,83% nos salários dos próprios parlamentares, de 133,96% no valor do vencimento do presidente da República e de 148,63% no salário do vice-presidente e dos ministros de Estado. O projeto iguala em R$ 26.723,13 os salários dos deputados, dos senadores, do presidente da República, do vice-presidente da República e dos ministros do Executivo, que antes variavam de R$ 11.000,00 a R$ 16.000,00.

O novo salário entrará em vigor no dia 1º de fevereiro do próximo ano, quando os parlamentares eleitos em outubro passado tomarão posse. O placar registrou 279 votos favoráveis, 35 contrários e 3 abstenções.

O mesmo plenário de Brasília votou nesta semana (fevereiro de 2011), a pauta sobre o aumento do´salário mínimo de R$ 600,00.

Veja como alguns dos deputados federais mais conhecidos, votou a proposta de R$ 600 para o salário mínimo

A votação da emenda para um mínimo de R$ 600 foi nominal. Assim, é possível saber qual foi o voto de cada um dos deputados. O placar foi de 106 votos a favor deste valor para o mínimo, 376 contra, e sete abstenções.

O "sim" significa que o deputado votou a favor da emenda, ou seja, aumento do mínimo.
O "não" quer dizer que o voto foi a favor do governo.


Ivan Valente (SP) - Sim

Ricardo Tripoli (SP) - Sim

Mara Gabrilli (SP) - Sim

Marcio Bittar (AC) - Sim

Vanderlei Macris (SP) - Sim

Bruna Furlan (SP) - Sim

Vaz de Lima (SP) - Sim

Alberto Mourão (SP) - Sim

Tiririca (SP) - Sim

Stepan Nercessian (RJ) - Sim

Arnaldo Jardim (SP) - Sim

Dimas Ramalho (SP) - Sim

Jair Bolsonaro (RJ) - Sim

Roberto Freire (SP) - Sim

Paulo Bornhausen (SC) - Sim

Eli Correa Filho (SP) - Sim

Eleuses Paiva (SP) - Sim





Arlindo Chinaglia (SP) - Não

Inocêncio Oliveira (PE) - Não

Benedita da Silva (RJ) - Não

Cândido Vaccarezza (SP) - Não

Carlos Zarattini (SP) - Não

Devanir Ribeiro (SP) - Não

Dr. Rosinha (PR) - Não

Jilmar Tatto (SP) - Não

João Paulo Lima (PE) - Não

João Paulo Cunha (SP) - Não

José Mentor (SP) - Não

Ricardo Berzoini (SP) - Não

Vicente Candido (SP) - Não

Vicentinho (SP) - Não

Arnaldo Faria de Sá (SP) - Não

Aldo Rebelo (SP) - Não

Penna (SP) - Não

Ricardo Izar (SP) - Não

Anthony Garotinho (RJ) - Não

Roberto de Lucena (SP) - Não

Sarney Filho (MA) - Não

Edmar Arruda (PR) - Não

Jonas Donizette (SP) - Não

Jose Stédile (RS) - Não

Keiko Ota (SP) - Não

Dr. Ubiali (SP) - Não

Edson Silva (CE) - Não

Gabriel Chalita (SP) - Não

Marcelo Aguiar (SP) - Não

Missionário José Olimpio (SP) - Não

Paulo Maluf (SP) - Não

Aline Corrêa (SP) - Não

Arthur Lira (AL) - Não

Beto Mansur (SP) - Não

Carlos Magno (RO) - Não

Pastor Eurico (PE) - Não

Romário (RJ) - Não

Acelino Popó (BA) - Não

Pastor Marco Feliciano (SP) - Não

Valdemar Costa Neto (SP) - Não

Vicente Arruda (CE) - Não

João Arruda (PR) - Não

Milton Monti (SP) - Não

Neilton Mulim (RJ) - Não

Paulo Freire (SP) - Não

Dr. Paulo César (RJ) - Não

Salvador Zimbaldi (SP) - Não

Delegado Protógenes (SP) - Não

Paulo Pereira da Silva (SP) - Abstenção




E se isso não é problema seu, quer dizer que você concorda com o valor abaixo que esta sendo debitado de sua renda cada dia que você acorda, começando quando escova os dentes...

http://www.contribuintecidadao.com.br/